Espíritos
Recomende:

Veja: Consciência, Espírito, Lei de Causa e Efeito, Plano de Salvação

São entidades que possuem a mesma substância do que chamamos espírito, ou seja, ambos são o mesmo em essência, mas não em manifestação. Quando nos referimos a espírito, estamos nos referindo à consciência dotada de todas as qualidades da vida como tal, a um estado de ser.

As entidades espirituais são semelhantes à forma humana. Na verdade, a forma humana é uma reprodução da forma de uma entidade espiritual. As entidades estão num estado ativo, o que não significa, porém, que o estado de ser é inativo. Existe aí um diferente tipo de atividade.

O estado de ser predomina quando a entidade espiritual decide deixar seus fluidos expandirem, fluírem para fora, tornando-se assim parte da grande força cósmica. O que é tantas vezes mal interpretado sobre este estado é de que nele cessaria a consciência, a vontade do indivíduo. Isto não é assim. A substância espiritual do ser em questão é parte do grande reservatório, estando verdadeiramente em união com o universo.

As entidades espirituais, na forma como as concebemos, foram criadas após a conclusão do Plano de Salvação. E também é verdade que a substância, a qualidade espírito ou os espíritos em estado de ser estão sendo constantemente criados. Não poderia ser de outra maneira, pois o mundo espiritual é o mundo da vida. Onde há vida, deve haver criação. Este é um processo contínuo que não pode ser interrompido.

A encarnação dos espíritos obedece à Lei de Causa e Efeito e segue os mesmos princípios tanto para os espíritos ligados ao Plano de Salvação quanto para os que não estão a ele ligados.

O contato com os espíritos não é uma necessidade. Para muitos, a evolução e o desenvolvimento podem ser alcançados sem ele. No entanto, se e quando tal contato é oferecido de maneira construtiva, o contato em si tem menos importância do que os benefícios que possa produzir.

Palestras: 054q, 063q, 065q

054: PERGUNTAS E RESPOSTAS
063: PERGUNTAS E RESPOSTAS
065: PERGUNTAS E RESPOSTAS

ABC

Sentença do Guia “Pois bem, o que fazer para mudar os sentimentos mais recônditos? Esse é o problema! É por aí que precisamos começar, é aí que preciso mostrar o caminho, o que fazer. Em primeiro lugar, meus amigos, vocês não podem mudar nada enquanto não souberem o que está de fato em vocês!” P. 025