Atividade (e passividade)
Recomende:

Veja: Passividade

É princípio criativo. A atividade interage com outro princípio criativo, o da passividade. No modo mais elevado de consciência, ambos se harmonizam.

A atividade não é o oposto da passividade, como geralmente se pensa. É uma qualidade diferente, e dentro dela também existe a passividade, e vice-versa. Toda atividade saudável é descontraída, fácil, sem esforço, havendo, portanto, uma qualidade receptiva que também a constitui. Do mesmo modo, um estado passivo, com sua característica receptiva saudável, jamais é um estado estático, sem movimento. Existe um movimento pacífico que não é tenso.

Muitas vezes a atividade é sentida como indesejável, porque exige uma direção, um senso de responsabilidade. Ela exige a identidade da personalidade madura, que sabe lidar com as próprias limitações e as limitações da vida.

Vários aspectos da atividade são tratados nas palestras: sua relação com o centro divino (137); com a passividade (024 e 029); equilíbrio entre atividade e passividade (146); falsa atividade (169); hiperatividade (098); atividade como reação ao medo da passividade (146); atividade e passividade da mente (163).

137: EQUILÍBRIO DE CONTROLE
024: PERGUNTAS E RESPOSTAS
029: AS FORÇAS DA ATIVIDADE E DA PASSIVIDADE - ENCONTRANDO A VONTADE DE DEUS
146: O CONCEITO POSITIVO DA VIDA; O DESTEMOR DE AMAR; O EQUILÍBRIO ENTRE ATIVIDADE E PASSIVIDADE
169: OS PRINCÍPIOS MASCULINO E FEMININO NO PROCESSO CRIATIVO
098: SONHANDO ACORDADO
163: ATIVIDADE MENTAL E RECEPTIVIDADE MENTAL

Palestras: 024, 029, 098, 137, 146, 163, 169, 224

024: PERGUNTAS E RESPOSTAS
029: AS FORÇAS DA ATIVIDADE E DA PASSIVIDADE - ENCONTRANDO A VONTADE DE DEUS
098: SONHANDO ACORDADO
137: EQUILÍBRIO DE CONTROLE
146: O CONCEITO POSITIVO DA VIDA; O DESTEMOR DE AMAR; O EQUILÍBRIO ENTRE ATIVIDADE E PASSIVIDADE
163: ATIVIDADE MENTAL E RECEPTIVIDADE MENTAL
169: OS PRINCÍPIOS MASCULINO E FEMININO NO PROCESSO CRIATIVO
224: VAZIO CRIATIVO

ABC

Sentença do Guia “Desejem a verdade, e abram-se para ela! Peçam a Deus por reconhecimento! E daí perceberão que o prazer de se render aos erros é insignificante em comparação com o prazer de superá-los.” P. 007