Autopiedade
Recomende:

Veja: Destrutividade, Medo da autorresponsabilidade

É a rejeição total da responsabilidade por si mesmo. Implica o desejo oculto de obrigar os outros – pessoas, Deus, a vida – a fazer as mudanças necessárias no lugar do eu.

Essa emoção, bastante destrutiva, revela que a pessoa não quer mudar, e se apresenta ao seu ambiente e aos outros como vítima das circunstâncias, apreciadas como fora do seu controle. Ela sente pena de si mesma porque não aceita a verdade de que é senhora da sua vida. Essa verdade, a única que nos torna livres e independentes, incomoda e é rejeitada.

O medo da decepção, que vem da atitude de trancar a porta para o outro e recuar da vida, é sinal de autopiedade, e a autopiedade, por sua vez, é sinal de concentração no eu no sentido errado. Em toda essa agitação interior, a meta é o ego. Isso dispersa a corrente de amor real ou a afasta para direções opostas.

A autopiedade nunca é justificada. Ela é um equívoco básico da relação da pessoa com a vida.

Quando o homem afunda na autopiedade, de maneira semiconsciente, ele se lembra de como reagiu quando tinha sobre os ombros um fardo real. E agora, o que ele quer é reproduzir aquele sentimento. Mas é uma produção artificial, pois com um pouco de esforço ele poderia modificar a situação. Logo, um mesmo sentimento pode ser profundamente libertador (quando se passa por uma provação) ou doentio e superficial, quando nos entregamos, desanimados, à autopiedade.

Eva Pierrakos. Caminho para o Eu Real. São Paulo: Publicação Interna Pathwork São Paulo, 2012, Capítulo 16.

Palestras: 004, 053q, 106

004: O CANSAÇO DO MUNDO EM CONTRAPOSIÇÃO AO AMOR: A PRECE
053: AMOR PRÓPRIO
106: TRISTEZA VERSUS DEPRESSÃO; RELACIONAMENTO

ABC

Sentença do Guia “A jornada para a crença positiva, a fé nas possibilidades de desdobramentos positivos exige um período de crescimento, um período de amadurecimento. Essa necessidade existe simplesmente porque seus processos mentais estão tão acostumados a acreditar no negativo que precisam ser reajustados.” P.236