Emoções infantis
Recomende:

Veja: Demandas, Exigências, Reação

São reações persistentes no adulto, apesar de uma compreensão que possa haver da situação vivida.

Essas reações interferem e predominam ainda mais, quando existe uma atitude de imposição de outra emoção sobre a original, e não se permite que a emoção infantil venha totalmente à superfície com suas ligações, sua causa e origem. É preciso deixar vir à tona o sentimento que houver com todo o seu impacto, o que não significa que a pessoa deva agir com base nele.

O importante é tomar consciência da intensidade da raiva, das exigências e reivindicações infantis, do real motivo da raiva, pois a derrota é inadmissível.

Se essas reações e impressões tiverem permissão para aflorar com toda a sua infantilidade e as reivindicações irracionais, sem racionalizar e inventar explicações, elas acabarão se enfraquecendo, de modo que o outro conjunto de sentimentos vai se tornar autêntico e cada vez mais dominante.

Muitas vezes, a boa vontade, quando imposta de fora, acaba sendo ela mesma uma obstrução. Se usada da maneira errada, pode se tornar um entrave e resultar numa reação vigorosa, não autêntica, num autoengano.

Só a vivência e a respectiva consciência das emoções infantis vão esclarecer como são ultrajantes as exigências feitas aos outros e a nós mesmos, como rejeitamos emocionalmente o mundo em que vivemos, incluindo-nos aí. Exigimos de nós mesmos uma perfeição que não podemos ter, e externalizamos nossas próprias exigências quando fazemos exigências aos outros.

Palestra: 085q

085: DISTORÇÕES DOS INSTINTOS DE AUTOPRESERVAÇÃO E PROCRIAÇÃO

ABC

Sentença do Guia “A felicidade foi feita para todas as pessoas, mas é impossível atingi-la sem eliminar a causa da sua infelicidade, que são os seus defeitos, que é qualquer tendência que quebre uma lei espiritual.” P. 011