Autodecepção
Recomende:

Veja: Consciência sobreposta, Decepção, Moralização, Vergonha

É o sentimento de desapontamento com nós mesmos, quando descobrimos erros, equívocos e distorções de um modo automoralizante, crítico, o que não nos ajuda no processo de autoconhecimento.

Muitas vezes, quando a vida parece sem esperança, porque as soluções externas, fora do nosso controle, nos parecem inatingíveis, passamos a vislumbrar um raio de luz, e ter uma compreensão mais profunda dos distúrbios interiores. Esse fato já traz inevitavelmente alguma esperança e segurança, pois elimina a sensação de sermos vítimas inocentes de circunstâncias que estão fora do nosso controle.

É importante entender que é a consciência sobreposta que nos induz a rejeitarmos a nós mesmos como seres humanos. O trágico é que nos apegamos à ela, acreditando erroneamente que somente ela pode impedir as ações com base nos instintos do Eu Inferior, portanto, nunca adquirimos uma confiança saudável em nós mesmos, pois não nos damos essa oportunidade. O respeito e a confiança saudáveis em si mesmos só podem vir do Eu Real, do qual nos afastamos, e mais ainda na medida em que nos prendemos à consciência sobreposta.

A autodecepção pode incluir a vergonha de certas deficiências, defeitos e até de certas necessidades perfeitamente legítimas. No início do trabalho de autoconhecimento. podemos não ter ciência nem mesmo da existência desse sentimento em que intimamente nos humilhamos. Leva tempo e requer esforço tomar consciência de algumas facetas das quais temos profunda vergonha de admitir e que encobrimos com um simulacro do oposto daquilo que nos envergonha.

Devagar, à medida que o trabalho do caminho avança no rumo certo, aprendemos a encarar esse sentimento de ignomínia apenas para nós mesmos, já que ainda não estamos prontos para revelá-la aos outros. Nessa fase já foi eliminada alguma dose de autoengano.

A vergonha pessoal de cada um e o correspondente disfarce podem variar. Mas seja qual for, quando ficamos frente a frente com esse aspecto, é preciso muito esforço e coragem para admitir o que até então era inadmissível. Depois que essa luta é vencida, obtemos uma dose considerável de liberdade e tranquilidade interiores.

Palestras: 116, 117

116: ALCANÇANDO O CENTRO ESPIRITUAL – A LUTA ENTRE O EU INFERIOR E A CONSCIÊNCIA SUPERPOSTA
117: VERGONHA COMO BENGALA PARA PROBLEMAS NÃO-RESOLVIDOS; CIRCUNSTÂNCIAS APARENTEMENTE FAVORÁVEIS DA INFÂNCIA TÃO OBSTRUTIVAS QUANTO DOLOROSAS.

ABC

Sentença do Guia “Encarar o eu muitas vezes significa desapontamento, porque o homem acredita que está muito mais avançado em seu desenvolvimento –até que encontra seu lado feio. Ele pensa que só o que fez conta, mas as emoções também contam, e elas causam tantos efeitos como as ações exteriores.” P.005